terça-feira, 29 de abril de 2008

Pangéia, o retorno


A ciência já sabe: daqui a 250 milhões de anos, a cara do nosso planeta será bem parecida com uma fotografia do passado distante. Bem-vindo ao próximo supercontinente.

Você embarcou em sua máquina do tempo. Para o futuro, 250 milhões de anos adiante. A Terra está viva e bem. Os humanos há muito pereceram, mas o planeta continua a ser o lar de formas de vida desconcertantes. Com exceção de alguns poucos fósseis misteriosos, não há nenhuma evidência de que um dia existimos. Para alguém que viveu no século 21, como eu e você, a Terra é quase irreconhecível. Os continentes estão unidos em uma única e gigantesca massa cercada por um oceano global. A maior parte do solo seco é um deserto hostil, enquanto a costa é atacada por tempestades ferozes. Os oceanos são turbulentos na superfície, estagnados nas profundezas e constantemente famintos por oxigênio e nutrientes. Doenças, guerras e colisões de asteróides levaram humanos e muitas outras espécies do passado à extinção. Pronto, voltemos ao presente.

 

Fonte de pesquisa: Extraido do portal Galileu Noticias <http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDG82631-7943-201,00-PANGEIA+O+RETORNO.html> acesso em  10/04/2008

 

 

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Medicamentos Genéricos







O que são medicamentos genéricos?




São medicamentos que contêm o mesmo princípio ativo, a mesma dosagem e forma farmacêutica, concentração e comportamento no organismo humano que seus respectivos medicamentos de referência. São comercializados somente com o nome do princípio ativo e apresentam-se no mercado como uma opção ao consumidor quanto aos preços.




O que é o princípio ativo?




É a principal substância química existente na fórmula do medicamento, responsável pelo seu efeito terapêutico. Por exemplo, o princípio ativo da Aspirina é o ácido acetilsalicílico.




O que são medicamentos de referência?




São aqueles cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente pelos laboratórios que os desenvolveram e registraram sua fórmula junto ao Ministério da Saúde. São medicamentos que compõem uma lista elaborada pela ANVISA, comercializados há bastante tempo no mercado e que se utilizam, em sua embalagem, de um nome comercial ou de uma marca conhecida eregistrada.




O que são medicamentos similares?




São aqueles que utilizam o mesmo princípio ativo dos de referência, apresentam a mesma concentração sem, no entanto, garantirem igual comportamento no organismo humano, por não terem passado por testes da laboratório. Atualmente, não podem ser mais comercializados com o nome do princípio ativo, devendo apresentar um nome fantasia.. Somente o médico pode autorizar a troca do medicamento de referência pelo similar.




Como identificar os medicamentos existentes no mercado brasileiro?




A diferença está na embalagem. O medicamento genérico contém, em sua embalagem externa, logo abaixo do princípio ativo que o identifica, a frase "Medicamento Genérico – Lei 9.787/99". Além disto, de acordo com a Resolução nº 47, de 28/03/2001, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA, os medicamentos genéricos devem apresentar, para facilitar a sua distinção dos demais, uma letra "G" e as palavras "Medicamento Genérico" em cor azul e colocadas sobre uma tarja amarela.




Os medicamentos genéricos fazem o mesmo efeito que os de referência?




Por serem medicamentos idênticos aos de referência, apresentam a mesma eficácia clínica, a mesma segurança e o mesmo comportamento em nosso organismo.




Quem garante os genéricos?




Somente após terem sido testados e aprovados por laboratórios habilitados junto à ANVISA, órgão do Ministério da Saúde, é que estes medicamentos recebem o registro de "genéricos" e podem ser comercializados com esta identificação.




Existe vantagem em se comprar medicamentos genéricos?




Por serem produzidos por diversos laboratórios os medicamentos genéricos são, em geral, mais baratos. Mas lembre-se: um mesmo "genérico", pode apresentar preços diferentes. Portanto, pesquise!







Atenção:




· Durante a consulta, solicite que seu médico prescreva, além do medicamento de referência, outras alternativas, como, por exemplo, o medicamento genérico correspondente.




· A prescrição do medicamento genérico somente é obrigatória nos atendimentos públicos (SUS).




· Se o seu médico não optar pelo genérico, deverá escrever esta observação na receita, de próprio punho, e de forma clara e legível.




· Caso ele não faça restrições à troca do medicamento de referência pelo genérico, saiba que, na farmácia, somente o farmacêutico responsável poderá fazer a substituição de um pelo outro. O balconista jamais poderá fazer a troca.




· A lista atualizada de genéricos aprovados pela ANVISA deve estar sempre à sua disposição nos balcões das farmácias.







Fonte de pesquida: extraido do Portal do Envelhecimento<http://www.portaldoenvelhecimento.net/utilidade/utilidade11.htm>, Acesso em 24 de Abril de 2008


quinta-feira, 17 de abril de 2008

Confira os Ganhadores do Grande Prêmio VIVO 2007





Mais de 100 filmes participaram da seleção, entre obras de ficção, documentários e filmes de animação. Os premiados da noite com o "Troféu Grande Otelo", criado especialmente para a Academia pelo arquiteto e designer João Uchoa, foram os seguintes:

VOTO POPULAR
Melhor Longa-metragem Estrangeiro - "Pequena Miss Sunshine"
Melhor Longa-metragem Nacional - "Tropa de Elite"

PERSONALIDADE DO CINEMA BRASILEIRO
Renato Aragão

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO
"O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias (de Cao Hamburger)

MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO
"Santiago" (de João Moreira Salles)

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO
"A Vida dos Outros" (Das Leben Der Anderen, ficção, Alemanha)

MELHOR LONGA-METRAGEM ANIMAÇÃO
"Wood & Stock - Sexo, Orégano e RocknRoll" (de Otto Guerra)

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO
"Beijo de Sal" (de Fellipe Barbosa)

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO
"A cidade e o Poeta" (de Luelane Corrêa)

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO
"Vida Maria"(de Márcio Ramos)

MELHOR DIREÇÃO
José Padilha (por "Tropa de Elite")

MELHOR ATRIZ
Hermila Guedes, como Suely (por "O Céu de Suely")

MELHOR ATOR
Wagner Moura, como Capitão Nascimento(por "Tropa de Elite")

MELHOR FIGURINO
Kika Lopes (por "Zuzu Angel")

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Silvia Lourenço, como viciada (por "O Cheiro do Ralo")

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Milhem Cortaz, como Capitão Fábio(por "Tropa de Elite")

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
Lula Carvalho (por "Tropa de Elite")

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
Cássio Amarante (por "O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias")

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Cláudio Galperin, Cao Hamburger, Bráulio Mantovani e Anna Muylaert (por " O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias")

MELHOR MAQUIAGEM
Martin Macias Trujillo (por "Tropa de Elite")

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Heitor Dhalia e Marçal Aquino (por "O Cheiro do Ralo"; adaptação do livro "O Cheiro do Ralo" de Lourenço Mutarelli)

MELHOR MONTAGEM FICÇÃO
Daniel Rezende (por "Tropa de Elite")

MELHOR SOM
Leandro Lima, Alessandro Laroca e Armando Torres Jr. (por "Tropa de Elite")

MELHOR MONTAGEM DOCUMENTÁRIO
Eduardo Escorel e Livia Serpa (por "Santiago")

MELHOR EFEITO ESPECIAL
Phil Neilson e Bruno Van Zeebroeck (por "Tropa de Elite")

MELHOR TRILHA SONORA
"Cartola Música para os Olhos"

MELHOR FILME DE CELULAR
"But"

PRÊMIO ESPECIAL DE PRESERVAÇÃO
CPCB - Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro
Fonte de Pesquisa: Portal Estadao.com.br, Arte&Lazer <http://www.estadao.com.br/arteelazer/not_art157622,0.htm%3E,+Imagem+extraida>, Imagem extraida do Portal da Academia Brasileira de Cinema <http://www.academiabrasileiradecinema.com.br/site/index.php?option=com_content&task=view&id=596&Itemid=454>, acesso em 17 de Abril de 2008.



segunda-feira, 14 de abril de 2008

Miss Brasil 2008




NATÁLIA ANDERLE É A NOVA MISS BRASIL 2008.



Finalmente foi eleita a Miss Brasil 2008. A representante do Rio Grande do Sul, Natália Anderle, venceu na maravilhosa noite de 13 de abril, o concurso Miss Brasil 2008, realizado no Citibank Hall, em São Paulo. O concurso que teve início às 20:30, foi apresentado por Nayla Micherif, Miss Brasil 1997, Guilherme Arruda (Band Esporte Clube) e contou com a participação especial de Renata Fan (Jogo Aberto), Miss Brasil em 1999.
Diante de vários jurados que observaram detalhadamente cada detalhe das 27 candidatas ao Miss Brasil 2008, a miss Rio Grande do Sul, Natália Anderle, foi a vencedora do concurso e esbanjou durante toda a noite, muita beleza e sensualidade. Em 5º lugar ficou a Miss Minas Gerais, Marina Marques, em 4º a Miss São Paulo, Janaína Barcelos, em 3º a Miss Goiás, Cyntia de Oliveira e em 2º a Miss Ceará, Vanessa Vidal.
A noite foi encantadora para as 27 misses que se apresentaram em cinco trajes: a novidade cocktail dress, o traje típico (trazidos pelas próprias misses), biquíni, casual e gala. Muitas estrelas também estiveram no CitiBank Hall, como o cantor, Alexandre Pires, Jorge Ben Jor, Gabriel O Pensador e o bloco afro Olodum. As coreografias criadas por Scott Grossman foram perfeitas e deram um clima de muita harmonia entre as candidatas no palco.
A emoção da nova Miss Brasil foi contagiante. Radiante e com uma felicidade indescritível estampada no rosto, Natália Anderle foi coroada com peça criada pelo joalheiro, Ricardo Vieira, pela Miss Brasil 2007, a mineira Natália Guimarães.
A vencedora do concurso recebeu o maior prêmio oferecido desde 1954: 200 mil reais, um automóvel 0 km e um relógio de porcelana com brilhantes da Magnun. A Miss Brasil 2008 representará nosso país no Miss Universo marcado para 15 de julho no Vietnã.






Fonte de Pesquisa: Portal Miss Brasil Oficial<http://www.missbrasiloficial.com.br/index.php?secao=noticia&cod=226>, acesso em 14 de Abril de 2008







quinta-feira, 10 de abril de 2008

AS ORIGENS DA CRUCIFICAÇÃO

 

a. As origens da crucificação são um tanto desconhecidas, mas ela acabou sendo adotada por todos os povos antigos, sobretudo pelos romanos, costumava empregá-las para executar escravos, rebeldes prisioneiros de guerra, e os piores tipos de criminosos, e embora não exista muitas informações históricas sobre o método da crucificação em sí, o que sabemos já é suficiente para provocar em nós a mais completa repulsa, diante de castigo tão bárbaro, depois de pronunciada a sentença, o primeiro passo era submeter o condenado a um açoite tão violento que muitos não resistiam e ali mesmo morriam amarrado ao posto do suplício, enquanto que suas carnes eram dilaceradas pelos impiedosos golpes que recebiam. Na maioria das vezes porém, o sofrimento estava apenas começando.

b. O passo seguinte era colocar a pesada cruz de madeira sobre os ombros já feridos e ensangüentados do condenado e fazer com que ele carregasse até o local de sua execução que sempre ficava do lado de fora da cidade.

c. Ao ali chegar, ele era inteiramente despidos e deitados sobre a cruz para que suas mãos e pés pudessem ser pregados. A descoberta recente dos ossos de um homem crucificado no mesmo períodos de Jesus levanta a possibilidade que talvez as pernas fossem juntadas e torcidas e então fixadas à cruz por meio de um único prego que atravessava os dois calcanhares. Sabe-se também que os homens eram crucificados de costas para a cruz, olhando para os espectadores, enquanto que as mulheres o eram com o rosto voltado para a cruz.

c. A cruz era então levantada e deixada cair com força num buraco no solo o que fazia com que as carnes feridas rasgassem com o balanço do corpo. Para que o corpo não caísse porém, um pequeno pedaço de madeira fixado no meio da cruz, servia de assento para a vítima, que ali era deixada a morrer de fome de dor, e de exaustão.

d. Este método tornava a morte bastante prolongada, raramente ocorrendo antes das trinta e seis horas, há registro de indivíduos que levaram até 08 ou 09 dias para morrer.

e. A dor logicamente era muito intensa, visto que o corpo inteiro ficava sujeito a tensões, enquanto que as mãos e o pés que são massa de nervo perdiam pouco sangue. Depois de algum tempo, as artérias do estômago e da cabeça ficavam regurgitadas de sangue, causando uma dor de cabeça alucinante, e finalmente a febre traumática e o tétano se manifestavam.

f. Na maior parte do tempo o indivíduo permanecia consciente, sentindo minuto a minuto toda intensidade da dor e a proximidade da morte e não havia absolutamente nada que pudesse fazer. De dia o sol forte queimavam suas carnes, as moscas o incomodavam sem que pudessem tocá-las. À noite o frio e o vento cortante tornava sua agonia insuportável.

g. E quando por alguma razão se desejava abreviar os sofrimentos da vítima, as suas pernas eram quebradas a golpes de martelo ou pedaços de pau, o golpe de misericórdia geralmente era dado com uma espada ou lança num dos lados do peito.

h. E ao morrerem, os crucificados não tinham sequer o direito a uma sepultura, seus corpos eram jogados nas valas onde se jogavam o lixo da cidade e ali eram devorados por abutres e animais carnívoros, o que aumentava ainda mais a vergonha do castigo; apenas a este pormenor, a crucificação de Cristo fugiu à regra.

 
 
 
Fonte de pesquisa: Texto extraido do blog Nisto Cremos - Blog Adventista    <http://nistocremos.blogspot.com/2008/03/trs-cruzes.html> acesso em 10 de abril de 2008

terça-feira, 8 de abril de 2008

Olha que interessante... Vale a pena ler...


Recebi esta mensagem da minha amiga Márcia...vale a pena ler.
Devemos ser gentis com as pessoas a nossa volta, mas também devemos ser gentis com nos mesmos.

 
exceções.
Generalizar é burrice!

Realmente existem estudos científicos da PsicoSomática


Olha que interessante... Vale a pena ler...


. Segundo a psicóloga americana Louise L. Hay, todas as doenças que temos são criadas por nós .

. Afirma ela, que somos 100% responsáveis por tudo de ruim que acontece no nosso organismo.

. Todas as doenças têm origem num estado de não-perdão, diz a psicóloga americana Louise L. Hay.

. Sempre que estamos doentes, necessitamos descobrir a quem precisamos perdoar.

. Quando estamos empacados num certo ponto, significa que precisamos perdoar mais .

. Pesar, tristeza, raiva e vingança são sentimentos que vieram de um espaço onde não houve perdão .

. Perdoar dissolve o ressentimento.


A seguir, você vai conhecer uma relação de algumas doenças e suas prováveis causas, elaborada pela psicóloga Louise.


Reflita, vale a pena tentar evitá-las:

DOENÇAS / CAUSAS:

AMIDALITE: Emoções reprimidas, criatividade sufocada.


ANOREXIA: Ódio ao externo de si mesmo.


APENDICITE: Medo da vida. Bloqueio do fluxo do que é bom.


ARTERIOSCLEROSE: Resistência. Recusa em ver o bem.


ARTRITE: Crítica conservada por longo tempo.

ASMA: Sentimento contido, choro reprimido.


BRONQUITE: Ambiente famíliar inflamado. Gritos, discussões.


CÂNCER: Mágoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo.


COLESTEROL: Medo de aceitar a alegria.


DERRAME: Resistência. Rejeição à vida.


DIABETES: Tristeza profunda.


DIARRÉIA: Medo, rejeição, fuga.


DOR DE CABEÇA: Autocrítica , faltade autovalorização.


DOR NOS JOELHOS: medo de recomeçar, medo de seguir em frente.


ENXAQUECA: Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.

FIBROMAS: Alimentar mágoas causadas pelo(a) parceiro(a).

FRIGIDEZ: Medo. Negação do prazer.


GASTRITE: Incerteza profunda. Sensação de condenação.


HEMORRÓIDAS: Medo de prazos determinados. Raiva do passado.


HEPATITE: Raiva, ódio. Resistência a mudanças.

INSÔNIA: Medo, culpa .

LABIRINTITE: Medo de não estar no controle.


MENINGITE: Tumulto interior. Falta de apoio.


NÓDULOS: Ressentimento, frustração. Ego ferido.


PELE (ACNE): Individualidade ameaçada. Não aceitar a si mesmo.


PNEUMONIA:
Desespero. Cansaço da vida.


PRESSÃO ALTA: Problema emocional duradouro não resolvido.


PRESSÃO BAIXA: Falta de amor quando criança.
Derrotismo.


PRISÃO DE VENTRE: Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro suficiente.


PULMÕES: Medo de absorver a vida.


QUISTOS: Alimentar mágoa. Falsa evolução.


RESFRIADOS: Confusão mental, desordem, mágoas.


REUMATISMO: Sentir-se vitima. Falta de amor. Amargura.


RINITE ALÉRGICA: Congestão emocional. Culpa, crença em perseguição.


RINS: medo da crítica, do fracasso, desapontamento.


SINUSITE: Irritação com pessoa próxima.


TIRÓIDE: Humilhação.


TUMORES: Alimentar mágoas. Acumular remorsos.


ÚLCERAS: Medo. Crença de não ser bom o bastante.


VARIZES:
Desencorajamento. Sentir-se sobrecarregado.


Curioso não?
Por isso vamos tomar cuidado com os nossos sentimentos... principalmente,
daqueles que escondemos de nós mesmos.

'Quem esconde os sentimentos, retarda o crescimento da Alma'


 

terça-feira, 1 de abril de 2008

1º de Abril: Dia da Mentira?

A versão mais conhecida é que a data surgiu no século 16, na França. Lá, a chegada do Ano Novo era comemorada durante uma semana e começava no dia 25 de março com término em 1º de abril. Acontece que o rei Carlos 9º decidiu alterar a data e o Ano Novo passaria a ser celebrado no dia 1º de janeiro, com a adoção do calendário gregoriano.

A tradição do 1o de abril data de séculos atrás, mas suas
origens são desconhecidas.

De acordo com o Museu de Embustes, um Web site criado em
1997 pelo autodescrito "especialista em mentiras" Alex Boese,
as referências à data começaram a surgir no final da Idade
Média.

Mas, segundo ele, a teoria mais divulgada sobre suas
origens data do final do século 16, quando a França deixou de
usar o calendário juliano e adotou o gregoriano. Com a mudança,
o início do ano passou do final de março para 1o de janeiro.

As pessoas que continuavam a comemorar o ano novo na semana
entre 25 de março e 1o de abril passaram a ser alvos de
brincadeiras.

Após a mudança de data, várias pessoas demoraram para se acostumar e outras resistiram. Por causa disso, elas viraram alvo de ridicularização: eram chamadas de "bobos de abril", recebiam convites para festas que não existiam e ganhavam cartões e presentes esquisitos no dia 1º de abril.

No Brasil, o 'Dia da Mentira' surgiu em 1848, no Estado de Pernambuco, onde circulou o jornal periódico chamado 'A Mentira'. Em seu lançamento, a manchete do periódico trazia a notícia do falecimento de Dom Pedro, desmentida no dia seguinte. "A Mentira" saiu pela última vez em 14 de setembro de 1849, convocando todos os credores para um acerto de contas no dia 1º de abril do ano seguinte, dando como referência um local que não existia.

Fonte de pesquisa: Site Yahoo Noticias <http://br.noticias.yahoo.com/s/080401/48/gjltko.html> acesso em 1° de Abril de 2008